DICAS DE BELEZA

BIOTINA É BOA PARA OS CABELOS, PELE E UNHAS

ESPECIALISTA DÁ DICAS DE CUIDADOS COM A PELE DO IDOSO

PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NO OUTONO: A ESTAÇÃO IDEAL PARA INVESTIR EM BELEZA

ÓLEO DE AMÊNDOAS HIDRATA A PELE E RECUPERA O CABELO

VEJA COMO MELHORAR PROBLEMAS NOS PÉS, COMO CALOS E UNHAS ENCRAVADAS

CREMES ANTI-IDADE: ENTENDA COMO FUNCIONA O TRATAMENTO PARA CADA FAIXA ETÁRIA

UNHAS IRREGULARES OU ONDULADAS PODEM SER CAUSADAS POR MANICURE MAL-FEITA

CÍLIOS POSTIÇOS: SAIBA QUAL O MELHOR FORMATO E COMO APLICÁ-LO

DICAS PARA ESCOLHER O BATOM CERTO

SEM MARCAS NOS PÉS

FILTRO SOLAR E HIDRATAÇÃO PARA MANTER UM BRONZEADO SAUDÁVEL

PELE E CABELO DOS IDOSOS: DICAS PARA MANTER A SAÚDE DERMATOLÓGICA

SETE CUIDADOS COM OS CABELOS PARA MULHERES QUE JÁ PASSARAM DOS 50 ANOS

NEM LOIRA, NEM MORENA: DESCUBRA OS TONS INTERMEDIÁRIOS QUE SÃO A CARA DO VERÃO

EMBORA EFICAZ, DEPILAÇÃO A LASER TEM PRÓS E CONTRAS; CONHEÇA MAIS SOBRE O MÉTODO

OITO CUIDADOS PARA PROTEGER A PELE SENSÍVEL

MAQUIAGEM PARA AS MADURAS

DICAS PARA PREPARAR A PELE ANTES DE CADA ATIVIDADE FÍSICA


RESSALVA
Não sou médica, nutricionista, dermatologista,
nem esteticista. Sou jornalista.
Recebo muitas dicas de saúde e de beleza
enviadas por nossos Velhos Amigos.
Peço que citem as fontes e o nome dos autores das matérias que nos são enviadas para publicação.
Se alguém encontrar algum texto sem os devidos créditos, solicito que me informe para que eu possa incluir em nossas seções, em respeito ao direito do autor.
Esclareço, ainda, que não estou capacitada a responder perguntas sobre assuntos que se desviam do meu conhecimento profissional.
Muito obrigada.
Um beijo,
Lou Micaldas

BIOTINA É BOA PARA OS CABELOS, PELE E UNHAS

Nutriente também ajuda na melhor absorção de outras substâncias

A biotina é uma vitamina do complexo B. Ela também é conhecida como vitamina B7 e vitamina H. Trata-se de uma vitamina hidrossolúvel produzida no intestino pelas bactérias e obtida por meio da alimentação.

Assim como outras vitaminas do complexo B, a biotina está relacionado ao metabolismo das gorduras, carboidratos e proteínas. Ela também é essencial para a saúde da pele, unhas e cabelos.

Benefícios comprovados 

Bom para a pele: A biotina é muito benéfica para a pele, isto porque ela ajuda no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras o que acaba melhorando a saúde da pele. A ausência da biotina pode fazer com que a pele fique seca, escamosa e com vermelhidão em volta da boca e nariz.

Bom para o cabelo: A ausência da biotina pode causar a queda de cabelos e também fazer com que os fios fiquem enfraquecidos. Ainda não é certa a relação entre o nutriente e os cabelos, mas alguns especialistas acreditam que a biotina tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe o cabelo.

Bom para as unhas: A falta de biotina pode enfraquecer as unhas. Alguns especialistas acreditam que isto ocorre porque o nutriente tem relação com a produção de queratina, proteína que compõe as unhas.

Ajuda na absorção correta dos nutrientes: A biotina, juntamente com outras vitaminas do complexo B, contribui para o metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, fazendo com que o corpo os absorva da melhor maneira.

Benefícios em estudo 

Bom para quem tem diabetes: Como a biotina ajuda a metabolizar melhor os carboidratos, alguns estudos apontam que a biotina pode ser interessante para diabéticos. Contudo, ainda são necessárias mais pesquisas para se comprovar este benefício.

Deficiência de biotina

A deficiência de biotina é extremamente incomum porque este nutriente está muito presente na alimentação. Contudo, quando acontece os sintomas da ausência do nutriente são: fraqueza nas unhas e cabelos, calvície, pele seca e escamosa e vermelhidão em volta do nariz e da boca. Outras complicações que podem ocorrer são conjuntivite, dermatite exfoliativa, dores musculares e lassidão, acompanhada de aumento da glicemia.

Combinações da biotina

Para proporcionar os benefícios mencionados, a biotina precisa ser ingerida com as outras vitaminas do complexo B. Além disso, é importante que ela faça parte de uma dieta balanceada.

Fontes da biotina 

As principais fontes de biotina são o amendoim, as nozes, o tomate, a gema do ovo, a cebola, a cenoura, alface, couve-flor e amêndoa. A carne vermelha, o leite, as frutas e as sementes também contam com o nutriente.

O uso do suplemento de biotina

O suplemento de biotina só é orientado quando a pessoa manifesta sintomas da ausência deste nutriente. A suplementação só pode ser realizada por um nutricionista ou médico nutrólogo.

O excesso de biotina

O consumo excessivo de biotina só ocorre por meio da suplementação e não tem grandes complicações, pois o nutriente é excretado pela urina.

Fontes: Minhavida
Tamara Mazaracki - Nutróloga e médica ortomolecular
Autora: Bruna Stuppiello


ESPECIALISTA DÁ DICAS DE CUIDADOS COM A PELE DO IDOSO

Estudos e pesquisas apontam um grande crescimento da população idosa no Brasil. Garantir uma velhice saudável depende de vários fatores, entre eles o cuidado com gripes e infecções respiratórias e com a alimentação.

Medidas simples como o uso de protetor solar, limpeza e hidratação podem garantir uma pele saudável. É o que afirma a Dermatologista membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Drª Anelisa Baungartner Lamberti. Confira a entrevista:

12.com - De forma geral, quais os cuidados especiais são necessários com a pele do idoso?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Banhos devem se rápidos, mornos e com sabonete delicado. Hidratante é importante, pois a pele do idoso é geralmente bem seca e com tendência a sensibilidade. Proteção solar utilizando protetores, chapéus, roupas adequadas e respeitando horários de exposição.

Medidas preventivas contra picadas de insetos, pequenos ferimentos e arranhões, pois há maior facilidade de inflamação e infecção. Evitar contato com produtos químicos fortes como inseticidas e cloro, pois há maior propensão a alergias e intoxicações.

A12.com - Temos uma geração de idosos que passou grande parte da vida trabalhando exposto ao sol e sem cuidados. Além disso, muitos também que não tinham acesso a protetores solares e hidratantes. Como tratar dessa pele agora?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Manchas solares, incidência de câncer de pele, dentre outras doenças.

Sem dúvida, a geração de idosos que trabalhou exposta ao sol, em profissões como lavoura, hoje sofre com os efeitos acumulativos do sol que se refletem em secura, aspereza, manchas, rugas, envelhecimento precoce e alto risco de câncer de pele. Precisam ser constantemente submetidos às avaliações dermatológicas e, com frequência, realizar procedimentos e pequenas cirurgias para retirada de lesões malignas e pré-malignas. Além disso, precisam utilizar diariamente hidratantes, filtro solar e evitar exposição nos horários de sol mais intenso.

A12.com - Por que a hidratação da pele é importante?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Porque uma pele bem hidratada é também mais protegida e menos vulnerável  a processos alérgicos, irritações e infecções.

A12.com - Qual é o procedimento para a limpeza da pele de um idoso?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Os banhos devem ser mais rápidos, mornos e com sabonete neutro ou infantil, evitando o uso de buchas e esponjas.

A12.com - Por que aparecem manchas na pele do idoso? Como cuidar delas? Há prevenção? E tratamento?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Geralmente, as manchas são fruto do efeito cumulativo do sol.  Devem ser sempre acompanhadas por especialista, pois podem sofrer transformações e acarretar num câncer de pele. A prevenção é usar hidratação e proteção solar e chapéus e roupas adequadas desde a juventude, sempre que houver exposição solar. O tratamento deverá ser definido pelo médico com uso de ácidos, clareadores, lasers ou pequenas cirurgias.

A12.com - Há alguma medida quanto aos cuidados com a pele que, quando tomada desde jovem, evita problemas na terceira idade?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Sem dúvida, a proteção solar desde a primeira infância, utilizando protetor adequado a cada tipo de pele. Também é importante o uso de óculos escuros, chapéus e roupas com tecidos que contém proteção contra os raios UV.  Além disso, hábitos positivos como alimentação saudável, sem vícios como álcool, fumo e drogas, ingerir muito líquido, dormir bem e reduzir o estresse sempre vão refletir numa pele de melhor qualidade.

A12.com - Mais de 75% das lesões sofridas por pessoas com mais de 60 anos são causadas por acidentes domésticos. Quando isso ocorre, quais são os primeiros socorros para cuidar do machucado?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Quando se tratar de pequenos ferimentos como cortes e arranhões, lavar o ferimento com água corrente e sabonete neutro, secar bem, usar antisséptico local e pomada antibiótica. Também é importante cobrir com curativo adesivo. Evitar remover as ‘crostinhas’ para uma cicatrização adequada.

A12.com - A partir de qual idade é preciso estar mais atento aos cuidados com a pele?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Cada faixa etária tem suas necessidades e cuidados específicos, o ideal é cuidar desde a primeira infância. Curiosidade: cerca de 80% do sol que tomamos durante toda a vida se concentra até os 18 anos de idade.

A12.com - Há alguma doença de pele que surge pela falta de cuidados? Se sim, quais?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Diversas doenças podem advir da falta de cuidados mais simples com a pele. Por exemplo: os fungos (micoses) podem surgir em áreas de umidade, por falta de cuidado ao enxugar os pés ou dobras.  Os eczemas (dermatites ou alergias) surgem por excesso de ressecamento  ou contato com produtos químicos  agressivos, como sabões e produtos de limpeza, entre outros. A principal doença é o câncer de pele que ocorre por falta de proteção solar adequada ou exposição excessiva ao longo da vida.

A12.com - Quais são os principais erros que os jovens cometem hoje e que podem refletir negativamente na pele quando estiverem na terceira idade?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Sem dúvida, o excesso de exposição solar e hábitos pouco saudáveis como, por exemplo, o fumo, consumo de álcool e drogas, pouco sono  e alimentação desequilibrada.

A12.com - É possível conciliar uma rotina corrida com cuidados essenciais na pele? De que forma?
Drª Anelisa Baungartner Lamberti -
Claro, precisamos de poucos minutos para: tomar banho rápido e morno, hidratar bem a pele e usar o protetor solar adequado diariamente de acordo com sua idade e tipo de pele.

Já evitar hábitos nocivos, tomar bastante água e se alimentar bem é uma questão de criar novas rotinas e disciplina que vão repercutir positivamente para todo seu organismo e quem sabe “contamine” seus amigos e familiares também, criando um ciclo saudável e positivo!

Além disso, deixo como dica para quem leva uma rotina corrida ter no carro, na bolsa ou até mesmo no trabalho um kit com cuidados essenciais. Entre os itens, produtos de hidratação e higienização da pele, protetor solar e cuidados para possíveis imprevistos, como machucados. Neste caso, é bom ter algodão, antissépticos, protetores locais e pomada antibiótica.

Autora: Polyana Gonzaga, 30 de Janeiro de 2016 às 07h45.
Fonte: http://www.a12.com/noticias/detalhes/saude-na-melhor-idade-especialista-da-dicas-de-cuidados-com-a-pele


PROCEDIMENTOS ESTÉTICOS NO OUTONO: A ESTAÇÃO IDEAL PARA INVESTIR EM BELEZA

Conheça as opções disponíveis e os cuidados para obter os resultados desejados

A chegada do outono e a queda das temperaturas trazem as condições ideais para colocar em prática os procedimentos estéticos que precisaram ser adiados por causa do verão, já que a exposição ao sol pode ser ainda mais prejudicial.  

“Estamos na estação do ano ideal para a realização de tratamentos dermatológicos que requerem menor exposição ao sol. Outro fator importante é que no outono, os efeitos dos procedimentos são mais intensos, pois as pessoas usam roupas mais fechadas e realizam menos atividades ao ar livre”, afirma o dermatologista Dr. Daniel Coimbra.

Assim como no inverno, a baixa radiação solar do outono reduz a chance de manchas e cicatrizes, além da temperatura da pele estar mais baixa, o que diminui a ocorrência de inflamações e edemas pós-tratamento. De acordo com o Dr. Coimbra, é uma boa época para tratamentos como laser, peeling e aplicação de ácidos que visam o rejuvenescimento da pele. Confira os procedimentos indicados para os dias com menos sol e calor:

Peelings químicos: de leve a média profundidade. Indicados para auxílio no tratamento de melanoses (manchas) solares, rugas finas, estrias e acne. Podem ser realizados quinzenalmente ou a cada mês, de acordo com orientação especializada.  A pele deve estar previamente tratada e deve-se continuar, posteriormente, o tratamento domiciliar com ácidos para um resultado mais efetivo.

Luz intensa pulsada: o aparelho usa uma tecnologia que emite luz, mas não é um laser e atinge vários tipos de alvo: a melanina (sardas e melanoses solares) e os vasos sanguíneos (face e colo) e estimula a produção de colágeno (flacidez e rugas). Esta técnica permite corrigir lesões faciais e corporais decorrentes do fotoenvelhecimento, como rugas finas, manchas no dorso das mãos, vasos faciais muito finos, rosácea, manchas solares, mudanças de textura da pele, olheiras, poiquilodermia (manchas, vasos e envelhecimento do colo e pescoço), entre outras. As sessões são realizadas mensalmente.

Microdermoabrasão / Peeling de cristal: É uma microdermoabrasão realizada na pele que utiliza cristais de hidróxido de alumínio. A aplicação leva, em média, 30 minutos e tem recuperação rápida. O tratamento é praticamente indolor, dependendo da intensidade utilizada pelo profissional. A técnica não oferece risco para pele e pode ser usada em todos os fototipos, pois não há contraindicação. Também é recomendado para tratar estrias, rugas superficiais, cicatrizes de acne e manchas escuras da pele (melanoses e melasma). Pode ser seguido de peelings químicos para otimizar resultados, de acordo com a indicação do dermatologista, assim como de aplicação de máscaras calmantes ou mesmo clareadoras.
  
Toxina botulínica A: é indicada para amenizar rugas em qualquer época do ano. Com o aumento da claridade durante exposição solar no verão, tendemos a contrair alguns músculos faciais. Esses movimentos podem piorar as chamadas rugas de expressão e a aplicação da toxina botulínica A pode evitar que essas rugas se intensifiquem.

Preenchimento com ácido hialurônico: é um gel composto por ácido hialurônico que preenche rugas e sulcos da pele, além de sustentar áreas com flacidez e devolver o volume e contorno do rosto perdido pelo processo de envelhecimento.  O ácido hialurônico também melhora a hidratação da pele

Laser de CO2: atinge a camada mais profunda da pele, reestruturando as fibras de colágeno. No entanto, após o tratamento, o paciente precisa ficar pelo menos um mês sem se expor ao sol para não correr o risco de ficar com manchas ou cicatrizes.

A estação também traz novidades em tratamentos estéticos, como a Indução Percutânea de Colágeno através de agulhas (microagulhamento/Dermaroller). “ Esse procedimento consiste em um pequeno rolo cheio de microagulhinhas, bem finas, que rolam sobre a superfície da pele a fim de promover uma renovação cutânea e a produção de colágeno, através da indução de um processo inflamatório cicatricial. É indicado para o tratamento de rugas, melasma, estrias e cicatrizes de acne, principalmente nas peles mais morenas, para as quais o laser de CO2 fracionado é restrito devido à probabilidade de complicações”, conta o dermatologista.

Outro alerta é para quem vai viajar para o campo ou para a montanha, imaginando que neste período do ano não há necessidade de uso do protetor solar. O produto deve ser utilizado diariamente independente da estação do ano.

Enviado pela assessoria da Allergan


ÓLEO DE AMÊNDOAS HIDRATA A PELE E RECUPERA O CABELO

Descubra por que ele continua um clássico, mesmo com tantas novidades em cosméticos

Seu perfume atravessa gerações, por mais que as novidades cosméticas não parem de chegar às prateleiras. Conhecido por fazer parte do enxoval das gestantes, o óleo de amêndoas tem alto poder de hidratação e ajuda a prevenir a formação de estrias quando a pele se distende demais. "Ele evita a perda de água na pele e todos os problemas relacionados a isso", afirma a dermatologista Cristiane Dal Magro, da Universidade Federal de Brasília. O cabelo também sai ganhando com essa solução simples e barata, como explicam os especialistas nas dicas que você lê a seguir.

Hidrata e previne estrias

Assim como outros óleos vegetais, o de amêndoas deixa a pele mais protegida contra a perda de água. Resultado: ela fica mais macia e hidratada, além de sofrer menos com as agressões externas (vento, frio e baixa umidade do ar ambiente).

A eficiência do óleo de amêndoas na prevenção de estrias e rugas explica-se graças à melhora na elasticidade da pele. "Mas não ache que o óleo acaba com estrias já formadas, essas cicatrizes só desaparecem com aplicação de laser", afirma a dermatologista. 

Poder anti-inflamatório

Além de deixar a pele mais macia, o óleo de amêndoas tem propriedades que desinflamam e acalmam irritações cutâneas. "Isso acontece devido à presença do zinco, mineral que atua no organismo diminuindo o processo inflamatório agudo", afirma o esteticista ortomolecular e cosmetologista Edjasto Brito, do Instituto Isa Prudome. A dermatologista de Brasília acrescenta que o óleo possui antioxidantes e vitamina E, úteis em processos de desinflamação.

Cabelo com menos volume

Os efeitos que o óleo proporciona a nossa pele também podem ser percebidos nos cabelos. "Há recuperação dos fios danificados e diminuição do volume", diz Edjasto. Mas o ideal, nesse caso, é buscar xampus e condicionadores que contenham óleo de amêndoas na fórmula. "O óleo se deposita no cabelo, que fica muito pesado e com aparência suja", afirma a dermatologista. Se for aplicar o óleo puro nos fios, deixe agir por cinco minutos e lave o cabelo como de costume.

Fim da descamação

O óleo de amêndoas tem efeito emoliente (ajuda a pele a recuperar sua oleosidade natural), por isso é uma boa opção quando o clima está muito seco ou após o sol. Mas, no caso de quem tem a pele seca como característica, o ideal é combinar o uso do óleo a hidratantes especiais. "O óleo favorece a absorção dos hidratantes, que penetram mais fundo na pele e agem mais rápido", afirma dermatologista.

Cuidados na hora da aplicação

O melhor momento para aplicação do óleo de amêndoas é após o banho. Os poros estão mais abertos e o produto consegue penetrar bem na pele. Prefira fazer isso durante a noite, quando o corpo está menos exposto a partículas de poeira e poluentes, que podem acumular na pele.

No caso de ressecamento intenso e para prevenção de estrias, aplique o óleo puro e faça uma massagem delicada durante dois minutos ou até que ele se espalhe de modo uniforme. Se achar incômoda a sensação oleosa, pode aplicar o produto antes do banho e retira-lo em seguida ? os ativos já terão penetrado. Prefira usar sabonetes com ativos hidratantes ou de pH neutro e evite a água quente, que resseca ainda mais a pele.

Uso diário

Nenhuma contraindicação impede que você aplique o óleo de amêndoas todos os dias na pele e no cabelo. "As regiões do corpo que são mais ressecadas, como os cotovelos, merecem uso diário", afirma a dermatologista. Evite usar óleo de amêndoas no rosto caso você tenha pele mista ou oleosa - o cuidado é para prevenir a formação de acne.

Óleo para problemas intestinais

O óleo de amêndoas, em formulação específica para consumo oral, pode ser usado contra o intestino preguiçoso, porque tem ação laxativa. "O ideal é procurar um médico e decidir junto a ele a dosagem certa. Vale lembrar que a versão disponível para uso na pele pode conter resíduos tóxicos de solvente (usado para extrair o óleo da semente) e não pode ser ingerido", afirma a dermatologista.

Fonte: Site MinhaVida
Autora: Carolina Serpejante


VEJA COMO MELHORAR PROBLEMAS NOS PÉS, COMO CALOS E UNHAS ENCRAVADAS

Deixe a vergonha de lado e coloque os pés para fora sem medo com as dicas dos especialistas

Sandálias são o melhor calçado para dias quentes, elas aliviam o calor nos pés e são mais confortáveis para caminhar. Mas há quem evite a todo custo deixar os dedos e calcanhares de fora por vergonha de problemas como ressecamento da pele, calos ou unha encravada. "Apesar de incômodos, no entanto, todos eles podem ser tratados rapidamente e você consegue usar sandálias ainda neste verão", afirma a podóloga Vera Feliciano, diretora da Dream Feet. Confira as dicas de especialistas no assunto.

Rachadura |Ressecamento
Os pés carregam o peso do corpo, sofrem atrito e têm a pele mais espessa. No verão, então, é preciso ficar ainda mais atento aos cuidados, já que os calçados abertos deixam os pés bem mais expostos a outras agressões, como o contato com a poeira e a poluição. Você pode tratar o ressecamento com um profissional e depois manter os cuidados em casa.

A podóloga Vera Feliciano explica que as rachaduras tendem a melhorar se você fizer uma hidratação profunda mensalmente usando cremes específicos para os pés. Para dar continuidade ao tratamento em casa, a dermatologista Marcia Linhares, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), recomenda hidratar os pés com cremes à base de ureia e lactato de amônio. "E não faça esfoliação nos pés mais de uma vez na semana ou eles podem ficar ainda mais ressecados, apesar da impressão momentânea de maciez", afirma a médica. Uma dica: usar os cremes à noite e colocar meias faz com que a pele absorva melhor os produtos.

Calos
Os calos nos pés são resultado de pressão repetitiva no local, a pele vai se encorpar para criar uma proteção contra um sapato que força demais um cantinho do dedo, por exemplo. Problemas posturais e até as costuras dos sapatos podem criar calos, segundo a dermatologista Isabel Martinez, diretora Clínica Martinez. Além de manter os pés hidratados, é preciso que você se afaste dos sapatos que incomodam. Os modelos com pontas arredondadas tendem a machucar menos e, no caso de calçados novos, vale a pena hidratar os pés antes de calçá-los (isso diminui o atrito da pele junto ao sapato). O uso de cremes para descamar a pele (ceratolíticos) também pode ser indicado pelo dermatologista caso os calos sejam muito espessos e recorrentes.

Frieira
Seus pés, muitas vezes, passam o dia sem respirar dentro de um sapato ou tênis quente e úmido. O ambiente é ideal para o surgimento dos fungos que causam frieira. Coceira e ardor são os sintomas mais comuns do problema, de acordo com a podóloga Marina Benevides, da Clinic Pé Shopping Ibirapuera. Para evitar o problema e não ser barrado no clube, a dermatologista Isabel Martinez orienta aos seus pacientes que alternem os sapatos, evitando repetir o mesmo por dois dias seguidos. Meias 100% algodão também mantêm os pés secos e evitam o aparecimento dos fungos.

Unha encravada
Dependendo da forma como a unha é cortada e as cutículas são retiradas, sua unha caba encravando - isso acontece quando ela não tem espaço para crescer e faz isso pressionando a pele. "Nunca corte as unhas pelos cantos, as pontas precisam ficar livres", afirma a dermatologista Marina Benevides. No caso dos pés, as unhas devem ser cortadas sempre retas e nunca muito curtas.

O tratamento varia de acordo com a intensidade de cada caso e pode ser simples, como o afastamento da pele inflamada por um chumaço de algodão, ou exigir procedimentos cirúrgicos, caso de quem precisa extrair a unha para que ela nasça sem causar inflamação. Em caso de infecções, pode ser necessária a utilização de antibióticos de uso local ou via oral e o dermatologista pode receitar.

Olho de peixe
Olho de peixe, também conhecido como verruga plantar, é um problema causado pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV), segundo a podóloga Vera Feliciano. O problema é sério e, a partir do momento em que se instala, depende de tratamento combinado entre dermatologista e podólogo para ser eliminado. Na maioria dos tratamentos, os especialistas recomendam o uso de fórmulas manipuladas e a aplicação de ozônio, que tem ação antivírus. "Para prevenir o problema, sempre use chinelos de banho em áreas públicas, seque os pés cuidadosamente após entrar em contato com a água e evite usar sapatos de outras pessoas."

Joanetes
Os joanetes surgem nos pés por problemas genéticos ou pelo uso contínuo de sapatos com bicos apertados. Em casos mais graves, é preciso fazer cirurgia, já nos mais simples, a correção pode ser feita com a ortoplastia, um molde de silicone desenvolvido no pé do paciente - o amortecimento do acessório alivia as dores, principalmente nos casos em que o dedão vira em direção ao segundo dedo do pé e os tecidos ao redor da articulação ficam inchados e sensíveis, de acordo com a podóloga Marina Benevides.

Inchaço
Várias são as causas do inchaço nos pés, desde o consumo excessivo de sal, passando pela má circulação, excesso de peso e falta de líquido no organismo, ou até mesmo a gestação e o período menstrual. De acordo com a podóloga Vera Feliciano, quando se trata de má circulação, pode ser feita uma drenagem linfática ou uma sessão de laser vermelho. "Ele fortalece os vasos, facilitando o retorno venoso e deixando o sangue com a oxigenação em equilíbrio." Para aliviar os sintomas procure elevar as pernas ao menos durante meia hora ao dia. "Evite também permanecer muito sentada ou na mesma posição, caminhe em intervalos regulares a cada 12 horas", afirma Marina Benevides. Na dúvida, procure um especialista.

Fonte: Site MinhaVida
Autora: Érica Ferreira


CREMES ANTI-IDADE: ENTENDA COMO FUNCIONA O TRATAMENTO PARA CADA FAIXA ETÁRIA

Ativos dos cremes variam conforme a idade da paciente e o tipo de pele de casa pessoa
Cremes anti-idade são um recurso muito popular na hora de prevenir e amenizar rugas de expressão. Mas antes de iniciar uma breve exposição sobre eles, gostaria de abordar a importância acima de tudo do uso adequado e regular do protetor solar. Ele deve ser utilizado desde a tenra infância e quando há dificuldades para o uso com frequência adequada, incluir bloqueadores solares simples: chapéus, guarda-sol, vestuário como luvas, bonés, diversos modelos de blusas, calças, meias, para todas as estações e ocasiões. 

A ação dos raios ultravioletas é a principal causa do nosso processo de envelhecimento, o chamado fotoenvelhecimento. Como dizia meu professor, basta colocar uma senhorinha de pé e observar as áreas foto expostas e compará-las com as regiões duplamente protegidas que são as nádegas e a área das mamas. Difícil encontrar rugas e manchas solares nessa pele protegida por anos. Então, antes de investir muito em cremes anti-idade, deve-se considerar a prevenção tanto do envelhecimento extrínseco como evitar colher no futuro um câncer de pele (ou vários!). 

Quando pensamos em cremes anti-idade, a faixa etária da pessoa conta muito. Por isso, dividi esse artigo conforme a idade do paciente:

A partir dos 25 anos

Após os 25 anos, muitos pacientes já procuram um dermatologista para o tratamento contínuo da pele, no sentido de protelar o envelhecimento. Nesta fase, além dos protetores solares comuns, podemos prescreve-los com anti radicais livres. Estes vão auxiliar na manutenção de uma pele saudável, aliados ao efeito da proteção solar. Alguns dos produtos adicionados consistem em vitaminas A, E, C, derivados de extratos e polifenóis. 

Se a paciente tiver uma pele muito branca e uma tendência familiar à flacidez ou pele fina, poderemos indicar um creme para pálpebras, que tenham ativos indicados para cada situação nessa faixa etária e um dos mais pedidos são para melhorar olheiras. Para estas situações, podemos indicar produtos contendo substâncias que auxiliam no clareamento da pele e drenagem linfática, melhora da circulação local. Também já podemos até iniciar um tratamento com substâncias derivadas dos retinoides para uma ação mais agressiva no tratamento da pele nessa área. 

Costumamos prescrever algum creme noturno. Também nessa faixa etária, os preferidos costumam ser a vitamina C, polifenóis, antioxidantes com um veículo apropriado para cada pele. Em todas as idades, iremos indicar hidratantes se necessário, também com potência, ativos e veículos que se apliquem a cada situação. 

35 anos ou mais

A partir dos 35 anos começa a ser preferível usar concentrações maiores ou produtos mais potentes que podem ou não ser mais "agressivos" para a pele, tendo uma maior esfoliação, maior penetração, necessitam de maiores cuidados no uso e no controle dos mesmos para evitar vermelhidão, descamação, etc. Entre os preferidos vem os derivados de retinoides que são variados, todos os indicados para os 25 anos em maior concentração, ou então associados ao ácido glicólico. Nessa faixa para cima, costumamos acrescentar quase sempre um creme de olhos e muitas vezes um creme para os lábios para evitar as rugas no topo da boca, chamadas popularmente de "código de barras". Iniciamos também com firmadores de pescoço e corporal para alguns tipos de pacientes. 

Depois dos 45 anos...

A partir dos 45 anos, realmente os grandes escolhidos são mesmo os retinaldeídos, os ácidos glicólicos e alguns outros associados. Embora comecemos a tratar os pacientes antes dos 45 anos, após essa idade, é imprescindível a associação de outros tratamentos, que podem consistir em peelings rotineiros, tratamentos com aparelhos de laser ou luz intensa pulsada, radiofrequência, técnicas associadas como a toxina botulínica e preenchedores para que se mantenha reposicionados as estruturas faciais que tendem a "cair", ser absorvidos, etc. 

Quando a casa dos 50 chega

A partir dos 55 anos, além das considerações anteriores, as pacientes que sempre se cuidaram vão fazer a "manutenção" anterior, mas as que não se cuidaram vão precisar em primeiro lugar tratar possíveis tumores de pele, quer sejam malignos, pré-malignos ou benignos que começam a surgir. São as manchas marrons, pretas, pequenas pintas, lisas ou "graxentas", vermelhas, e as piores, as que sangram. 

Após as prioridades, as indicações de tratamento de pele, podem incluir medicamentos que ajudam no rejuvenescimento, mas que também atuam no tratamento das feridas pré-malignas, às vezes com protetores solares com ativos também para esse propósito. Os procedimentos para o rejuvenescimento, quando a paciente prefere não se submeter à cirurgia plástica, já tem um caráter mais agressivo, como por exemplo, os peelings que são indicados para agir mais profundamente para obter os resultados desejados. 

Após os 65 anos

A partir dos 65 anos, mantemos os tratamentos anteriores, especialmente dos 55 anos e se a pele da paciente começa a ficar mais fina e delicada, precisamos utilizar produtos mais suaves em alguns momentos. 

Fatores além da idade

Vão existir variações nas prescrições, pois há muitos fatores envolvidos. Começando com o tipo de envelhecimento da pele da paciente já na primeira consulta, pois nosso país cultua o bronzeado e muitos jovens ainda insistem em manter a pele bronzeada, o tipo de pele (racial, genético), se há doença associada, hábitos (praticar esportes ao ar livre), sexo e até mesmo concepção filosófica. 

Autora: Dra. Bhertha Tamura
Dermatologia - CRM 67946/SP
  


PROLONGUE O EFEITO DO DESODORANTE E AFASTE O MAU CHEIRO DAS AXILAS

Sabonete antisséptico e roupas de algodão garantem o efeito do produto por mais tempo

Quem não sua, que atire a primeira pedra. Não importa se o tempo está quente ou até frio, o desodorante é um item indispensável na vida de qualquer pessoa. Principalmente para quem sofre de bromidrose, problema que faz com que o suor tenha mau cheiro. "A causa é a atuação de bactérias presentes nestas regiões sobre o suor, provocando o odor característico, exalado por estas regiões do corpo após situações que provoquem a sudorese", explica a dermatologista Carolina Reato Marçon, médica colaboradora do Departamento de Dermatologia da Santa Casa de São Paulo.

O problema é que em algumas épocas do ano, o desodorante pode nem sempre ter ação o tempo todo. E aí, o que fazer? Confira nossas dicas para prolongar o efeito do produto e evitar o mau odor.

Desodorante X Antitranspirante

Antes de tudo é preciso diferenciar: desodorante é uma coisa, antitranspirante é outra. O primeiro, como o nome já diz retira o odor, e é indicado para os casos de bromidrose. "Por isso são compostos por antibacterianos que inibem o desenvolvimento de bactérias na região e um de seus principais ativos é o etanol, um tipo de álcool e o triclosan, um antisséptico", conta a dermatologista Valeria Campos, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Já o segundo apenas evita a transpiração, retendo o suor nas glândulas sudoríparas. Isso faz com que seus princípios ativos sejam diferentes. "O desodorante é menos agressivo que o antitranspirante, pois não contém alumínio em sua fórmula", considera a dermatologista Carolina Reato Marçon, médica colaboradora do Departamento de Dermatologia da Santa Casa de São Paulo. "As agências reguladoras exigem uma redução de até 20% da secreção de suor para os antitranspirantes comuns e de até 30% para os que prometem 'proteção extra'", completa a especialista.

Normalmente os produtos contêm as duas características, segurando o suor e reduzindo os odores causados pelas bactérias, mas pessoas que apenas transpiram muito, sem mau cheiro, podem muito bem usar apenas o antitranspirante, por exemplo. ?Se não for sair de casa, dê preferência aos desodorantes não antitranspirante, pois são mais baratos e menos passíveis de causar reações de hipersensibilidade e alergias?, ensina Valeria.

Use sabonete antisséptico

Mas não adianta usar apenas o desodorante e deixar ele lá, atuando sozinho, não é mesmo? Um grande aliado é o sabonete antisséptico, e vale apena investir em um desses para o banho nosso de cada dia, ainda mais se seu suor costuma ter um mau odor. "O ideal é lavar as axilas com sabonete antibacteriano para eliminar os micro-organismos causadores do mau cheiro, deixando a espuma atuar por alguns minutos, para matar os micro-organismos locais", explica a dermatologista Valeria.

Enxugue muito bem

Depois de lavar muito bem, demore-se também para enxugar. "Seque bem a pele após o banho, de modo que não fique nenhuma umidade, que favorece a proliferação bacteriana e diminui a penetração dos desodorantes", alerta Carolina Marçon. Só de depois de suas axilas estarem bem secas que você pode investir em uma boa dose do seu desodorante escolhido.

Vista roupas leves e de algodão

Depois de tanto cuidado com a higiene, verifique também se suas roupas estão favorecendo nesse quesito também. Mais do que pensar se um tecido se dá bem com a sua pele, veja também se ele não acumula umidade. "Os tecidos sintéticos, como o elastano, poliéster e a elanca, retêm o suor e favorecem a proliferação e ação das bactérias", alerta Carolina. Evite roupas que apertam as axilas e não fique também repetindo roupas já usadas, já que elas podem conter bactérias que causem a bromidrose. E não pense que essas recomendações valem apenas para o verão. "No inverno a questão do suor diminui muito, mas quem tem muita tendência ao mau cheiro ou excesso de suor deve respeitar isso em qualquer época do ano", friza Valeria.

Escolha o desodorante certo para você

Além de diferenciar o antitranspirante do desodorante, vale a pena tomar cuidados específicos. Veja as vantagens e desvantagens de cada tipo:

Roll-on Nunca deve ser compartilhado, pois sua aplicação é que mais acumula bactérias, por isso mesmo, só o use quando a pele estiver limpinha e passe um lenço umedecido antes de aplicar. De acordo com Carolina Marçon ele dura mais: "dura mais do que os outros, entre 8 e 12 horas, pois tem zircônio em sua fórmula, um ingrediente que superpotencializa a ação antitranspirante, pois forma uma película protetora nas axilas e é liberado de pouquinho em pouquinho ao longo do dia".

Aerossol ou spray Esse tipo não é indicado para peles sensíveis, pois contém álcool, que causa irritação. Sua maior vantagem é a absorção rápida, que evita manchas nas roupas, além de poder ser compartilhado com maior facilidade.

Cremes São os menos agressivos, "geralmente contêm ativos emolientes ou suavizantes que hidratam", conta Valeria. Porém, são os que mais demoram para serem absorvidos pela pele, podendo manchar as roupas.

Duração 24 ou 48 horas Esses normalmente são os antitranspirantes, e quanto mais tempo eles prometerem durar, mais alumínio terão em sua fórmula. "No entanto, tem o inconveniente de causar irritação da pele, manchas e danos aos tecidos. A concentração mais alta do produto destinado a durar mais tempo, aumenta a chance de efeitos colaterais", pondera Valeria. O excesso de desodorante antitranspirante pode causar entupimento, irritação e até inflamação no local. O alumínio em excesso, inclusive, pode estar relacionado a câncer de mama em mulheres, de acordo com alguns estudos, alerta a dermatologista Carolina. "Um indivíduo que costuma tomar dois banhos por dia não precisa exagerar tanto no antitranspirante, nem buscar aqueles produtos ultrapotentes com 24 ou 36 horas de duração", considera a especialista.

 Com ou sem perfume? Quem tem pele sensível deve evitar produtos perfumados, já que os produtos que causam seu cheiro podem causar irritações. No geral, deve-se tomar cuidado, pois eles podem escurecer a pele da axila, entre outros problemas. "Os desodorantes com perfume podem alterar o pH da axila, além de proporcionar infecção de fungos e bactérias", explica Carolina Marçon.

Faça a quantidade certa de reaplicações

Não adianta apenas passar o desodorante depois do banho e pronto. Muitas vezes, é preciso reaplicar o produto para ter um efeito melhor! "Cada caso é um caso e quem determina isso são os micro-organismos de cada pessoa: tem gente que nem precisa de desodorante, enquanto outros têm que reaplicar a cada quatro horas", diferencia a dermatologista Valéria. Normalmente os antitranspirantes duram mais do que o desodorantes, portanto fique atento ao seu.

Higienize-se no meio do dia

Para quem sofre com o mau cheiro, vale a pena investir em uma higienização no meio do dia. Para tanto, é preciso retirar o desodorante da manhã com água e sabão, lavar e secar muito bem a região e então reaplicar o produto. Uma dica da dermatologista Valéria para não se esquecer de praticar esse ritual é associá-lo à hora de escovar os dentes!

Aproveite a noite para deixar as axilas arejarem

Ao fazer sua higienização de rotina nas axilas a noite, como ensinamos no tópico anterior, você pode deixar de passar o produto. "Isso porque a maioria das fórmulas conta com agentes que bloqueiam as glândulas sudoríparas, que mal trabalham enquanto o corpo repousa. Além disso, a pele vai permanecer com resíduos químicos até o dia seguinte, o que pode aumentar as chances de irritações e alergias", alerta a dermatologista Carolina Marçon.

Mas para tanto o ideal é garantir que as axilas estejam arejadas. "Evite tecidos e materiais que deixem essas regiões ainda menos ventiladas, como os das roupas sintéticas? Prefira as de algodão, roupas muito justa também devem ser evitadas pelo mesmo motivo", aconselha Valéria. Logo de manhã, é só fazer a higienização de novo e passar o desodorante.

Depilação: necessária ou não?

Muitas pessoas associam os pelos da axila ao mau cheiro, mas uma questão é independente da outra, afinal a depilação apenas facilita a higiene do local. "Se você decidir que não quer se depilar, basta usar sabonete e desodorante bactericida e higienizar a região mais vezes", considera a dermatologista Valéria.

Para quem decide mesmo assim remover os pelos da região, o método mais duradouro é a depilação a laser. Porém, se a dúvida é entre a cera e a lâmina, a primeira tem resultados mais duradouros, como ressalta a especialista. E após retirar os pelos, é preciso ter cuidado com o desodorante. "Os produtos com fórmula em creme costumam ter ingredientes que não irritam peles sensíveis e recém-depiladas, hidratando a pele. Evite versões com álcool e dê preferência a desodorantes com fórmulas hidratantes", ensina a dermatologista Carolina.

Veja se você não ficou imune!

Pode parecer estranho, mas muitas vezes ficamos imunes ao mesmo desodorante. Na verdade, quem fica mais resistente são as bactérias, aquelas mesmas que causam também o mau cheiro! Ou seja, depois de um tempo, se o produto não as elimina mais, o odor ruim volta a ser produzido. "Aconselha-se trocar o desodorante pelo menos a cada três meses, dessa forma, previne-se a resistência do organismo", indica Carolina. O ideal é mudar quando você perceber que o cheiro voltou. Mas como fazer essa troca? "O ideal é usar desodorantes com diferentes fórmulas de bacteriostáticos", orienta Valéria.

Fonte: http://www.minhavida.com.br
Autora: Nathalie Ayres


UNHAS IRREGULARES OU ONDULADAS PODEM SER CAUSADAS POR MANICURE MAL-FEITA

Essa característica das unhas também pode estar relacionada a problemas de saúde ou ao envelhecimento natural

Algumas pessoas sofrem com unhas que apresentam superfície irregular ou ondulada. Às vezes nem mesmo lixar a parte superior da unha e aplicar base e esmalte consegue esconder essas alterações. Há diversos tipos de irregularidades que podem surgir na superfície das unhas. Veja os principais tipos e quais são suas causas mais comuns: 

Sulcos longitudinais paralelos

Esse tipo de irregularidade é caracterizada por risquinhos que surgem nas unhas e podem estar presentes em uma delas, em várias ou mesmo em todas. Quando isso acomete todas as unhas, normalmente ela é um sinal do envelhecimento das unhas: assim como os cabelos ficam brancos, as unhas ficam irregulares. O único tratamento possível é lixar e aplicar base e esmalte. As unhas tendem a ficar com um bom aspecto após terem sido tratadas dessa forma. 

Quando esse sulco é único e atinge apenas uma unha, a maior chance é que isso seja causada pelo hábito de cutucar a cutícula daquela determinada unha. O sulco central fica com aspecto de tanque de lavar roupas. O tratamento é interromper o trauma e aguardar o restabelecimento da saúde da unha. 

Entre as causas mais raras deste mesmo quadro estão cistos e tumores que atingem a matriz da unha (parte do corpo em que ela é fabricada). Essas lesões geralmente se acompanham de dor e de inchaço da região próxima à cutícula. Pacientes com reumatismo podem ter um quadro semelhante. 

Sulcos transversais

Esse tipo de irregularidade pode ser profunda ou mais superficial e atingir uma ou mais unhas. A causa mais comum desse tipo de problema é a manicure agressiva, que danifica a matriz da unha ao empurrar a cutícula com muita força. Se for este o problema, basta evitar este trauma que a unha irá se recuperar completamente entre 3 e 9 meses (dependendo se é dos pés ou das mãos). 

Uma situação muito particular pode ocorrer em crianças e adultos que estejam passando por uma doença grave com internação, uso de quimioterápicos, febre prolongada, infecções, entre outros etc. Neste caso, há uma parada na produção da unha com posterior recuperação. Isso pode deixar um sulco de profundidade variada, que estará presente em todas as unhas, geralmente na mesma altura. 

Outra causa de irregularidade das unhas ocorre quando a pessoa mexe com água e produtos químicos ou de limpeza e perde as cutículas, que são a proteção da fábrica das unhas. Nessa doença existe um inchaço da região abaixo da cutícula e unhas totalmente irregulares, mas o quadro pode se iniciar com sulcos transversais sobrepostos. 

Unhas rugosas

Quando as unhas estão cheias de rugas, despolidas e com vários risquinhos, pontinhos brancos e buraquinhos, essas características podem ser o indício de uma doença dermatológica das unhas. É importante procurar o dermatologista para que o diagnóstico correto seja feito e o tratamento iniciado o quanto antes. 

Várias dessas doenças podem ser tratadas com excelente resposta aos medicamentos, desde que o diagnóstico seja feito logo no início dos sintomas. O diferencial dessas doenças é feito com micose, que é mais comum e, apesar do tratamento ser demorado, mais fácil de tratar, sobretudo no início. 

Como evitar e cuidar do problema

Diante de tudo isso, minha dica para quem está com este problema é: 
• Evite empurrar as cutículas com força. Prefira usar produtos para amolecê-las e remova apenas o excesso com o auxílio de uma cureta

• Nunca cutuque suas unhas. Isso pode levar a sequelas e deformidades sem volta

• Diante de unhas com risquinhos paralelos: lixe suavemente a superfície das unhas e aplique a base e o esmalte

• Evite usar base de formol para tentar resolver esse tipo de problema, mesmo que as unhas estejam se partindo nas pontas: o formol só agrava o quadro, porque faz as unhas ressecarem e perderem água. Além disso, eles podem tornar as unhas doloridas, mascarando sintomas

• Caso as suas unhas comecem a piorar ou estejam doloridas é importante procurar um especialista porque você pode estar com alguma doença inflamatória das unhas, como a psoríase, por exemplo

• Caso haja, além da alteração da superfície, mudança da cor das unhas ou inchaços e deformidades não perca tempo e vá ao dermatologista. Esses são sinais de alerta dos tumores das unhas!

Fonte: http://www.minhavida.com.br
Autora:
Dra. Tatiana Gabbi Dermatologista - CRM 104415/SP


CÍLIOS POSTIÇOS: SAIBA QUAL O MELHOR FORMATO E COMO APLICÁ-LO

O olhar é a arma secreta de uma mulher. Para deixá-lo com ainda mais destaque e “fatal” o mercado já oferece inúmeros acessórios. Mas é preciso saber utilizá-lo, pois as novidades não param de surgir e as novas aplicações também.

Segundo a maquiadora de luxo e designer de sobrancelha, Ana Paula Basílio, “os cílios postiços são poderosos e existem em diversos tamanhos, volumes e até cores, podendo fazer com que sua make fique ainda mais personalizada, arrasadora e charmosa”.

A especialista destaca ainda que o importante é sempre adequar o tamanho da base dos cílios – onde será aplicada na pálpebra - ao formato dos olhos  e também ao tamanho dos fios, de acordo com o efeito desejado para o olhar.

Cílios Anatômicos
Possuem os fios postiços em tamanhos crescentes, dando efeito mais amendoado ao olhar. Ideal para valorizar o olhar em ocasiões noturnas.

Cílios Volumosos
Possuem os fios mais grossos e bem juntos para ter um efeito de maior volume. Ideal para deixar a mulher com um olhar super marcante. Ocasião perfeita: eventos noturnos.

Cílios Trançados
Possuem fios entrelaçados entre si, que se misturam com os fios naturais trazendo mais volume e naturalidade ao olhar. Ideal para usar durante o dia em almoços, encontros e reuniões entre amigas.

Cílios Longos
São produzidos com fios mais grossos, mais longos e com mais espaço entre si, sendo intercalados com fios menores para reforçar o volume e o alongamento dos cílios naturais. Ideal para ser utilizada tanto à noite quanto durante o dia, além de deixar o olhar com aparência super natural.

Cílios em Tufos
A grande vantagem deste formato é o poder que ele tem de corrigir falhas dos fios naturais. Esses cílios podem ser aplicados um a um nos olhos ou apenas no canto externo para abrir mais o olhar. Ideal para reuniões diurnas e noturnas. Por serem mais simples são bem naturais.

Cílios Artísticos
São encontrados em várias cores, com aplicações de brilhos, pedrarias e até mesmo penas. Eles garantem um look mais divertido e chamam bastante a atenção. Esses formatos são idéias shows e festas temáticas.

Tipos de cola
A maioria dos cílios postiços já vem acompanhada de uma cola específica, mas o ideal é sempre ficar atenta a validade e qualidade delas. Há três tipos: a branca, a transparente e a preta, mas todas podem ser utilizadas para qualquer tipo de maquiagem.
“Eu particularmente gosto muito de usar a preta. Ela deixa um leve traço escuro na raiz dos cílios. Neste caso, deve-se usar como acabamento um traço de delineador ou lápis e é perfeita para makes que tenham cores mais escuras”, explica Ana Paula.

Segundo a maquiadora, o tempo de fixação vai depender muito do produto. Por isso, se for necessário, alerta, “não deixe de comprar uma outra que garanta maior tempo de duração”. O ideal é que os cílios permaneçam fixos, em média, de 4 a 12 horas.

Aplicação dos cílios postiços
Para não haver erros na aplicação e garantir o resultado magnífico é preciso, primeiro, colocar um pouco de cola no dorso da mão e depois aplicá-la na raiz dos cílios postiços. O ideal é utilizar sempre uma pinça para ter melhor precisão no manuseio do acessório.

Após esse processo é fundamental aguardar a cola secar por cerca de 20 segundos antes de aplicá-lo a pálpebra. “Cuidado para não inserir cola em excesso e borrar toda a maquiagem”, explica Ana Paula. O ideal é aplicá-los bem rentes a raiz dos cílios naturais. Primeiro fixe a parte central dos cílios postiços e, em seguida, as extremidades.

Depois é preciso deixá-lo secar por alguns segundos e aplicar o rímel, unindo os cílios naturais aos postiços, além de garantir mais volume e naturalidade ao olhar. Para um efeito ainda mais natural, a finalização pode ser feita com o traço de delineador ou lápis.

“O mais importante de tudo é que os cílios postiços devem ser retirados sempre junto com a maquiagem. Alguns deles são descartáveis e de uso pessoal. Reutilizá-los não é uma boa ideia mesmo porque os cílios sempre ficam com vestígios de colas, podendo acumular fungos e assim causar irritações nos olhos. Caso o cílios sejam de boa qualidade até podem ser utilizados mais uma vez, mas só se for pela mesma pessoa”, explica a maquiadora.

Autora: Ana Paula Basílio
Maquiadora e designer de sobrancelha,
Enviado por: Larissa Baetá
Visão Estratégica Comunicação
http://www.visaoestrategica.com.br
https://pt-br.facebook.com/veccomm


DICAS PARA ESCOLHER O BATOM CERTO

Ana Cláudia Costa, maquiadora do "Monde k", dá dicas de como escolher o batom certo para arrasar na produção do look

Que o batom é um dos queridinhos das mulheres, quando o assunto é cosmético ninguém duvida. Porém, escolher o batom certo é o desejo da maioria delas, quando o objetivo é acertar no look para ficar mais atraente. Além disso, o produto ajuda na hidratação dos lábios e ainda dá aquela ajudinha na produção durante a correria do dia a dia. Escolher o batom ideal para cada ocasião pode parecer simples, mas não é. Por essa razão, estar atenta às poucas regras no uso do produto pode deixar a tarefa mais simples.

Para a maquiadora, Ana Cláudia Costa, do salão "Monde K", apesar da tendência ser feita por cada pessoa, é importante saber como ousar e combinar cores e efeitos com os demais produtos de maquiagem ou mesmo a roupa. “Cada uma tem seu estilo, gosto, e não existem muitas regras para a escolha do batom. Se não há muitas regras, existem algumas dicas que ajudam a valorizar mais o visual, quando o assunto é batom de acordo com o tom de pele”, salienta Ana Cláudia.

Por isso, a profissional do "Monde K" listou algumas dicas para você acertar na produção:

Pele clara: mulheres com a pele clara ficam bem com tons de nude e variações de rosa, mesmo as nuances mais intensas, como o magenta. Para makes noturnos, as tonalidades vibrantes como o pink, laranja e vermelho realçam mais o tom de pele e deixam um look mais moderno e elegante.

Pele morena: as mulheres morenas podem realçar a beleza durante o dia, usando batom tom caramelo, coral ou pêssego. Para a noite, a pele morena pede tonalidades mais intensas como o marrom, vermelho, vinho ou bronze.

Pele negra: já as mulheres negras devem usar nos lábios tonalidades mais aproximadas do marrom ou variações de alaranjado. Para dar mais contraste, à noite, as cores como o vermelho aberto, vinho, uva e marrom valorizam ainda mais a pele morena.

**Dica para aplicar: Ana Cláudia recomenda uniformizar a boca com um pouco de corretivo ao redor dos lábios, assim o batom fica bem uniforme e não borra. Sempre é bom também hidratar os lábios com hidratante labial antes de usar o contorno de lábios, isso faz o batom durar mais tempo.

O contorno dos lábios é outra dica para quem quer valorizar bem a boca e conseguir um batom com acabamento mais bonito.

Enviado por: Raquel Garcia


SEM MARCAS NOS PÉS

Muita gente só repara neles quando o calo aperta, uma ferida aparece, a unha encrava ou o 'chulé' começa a incomodar. Não deveria. Confira, passo a passo, como cuidar de quem nos garante postura, equilíbrio e locomoção

Os pés escondem uma complexa anatomia para dar conta de nossa estrutura e movimento. Revestidos pela pele - que pode ser comparada a uma capa protetora -, estão 26 ossos, 114 ligamentos e 20 músculos em cada pé. Tudo funciona como uma orquestra, em que todos os componentes devem estar em perfeita sintonia. Uma pequena desafinação pode comprometer todo o conjunto. O problema é que o maestro neste caso somos nós, responsáveis, na maioria das vezes, por dores, bolhas, feridas, calos e mau cheiro que nos tiram, literalmente, o chão e acabam afetando o ritmo de nosso dia-a-dia e até o nosso humor.

Resultado: os problemas decorrentes da falta de cuidados com higiene são os que mais levam os pacientes aos consultórios, alerta a dermatologista Márcia Naomi Yoshioka, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). "Cerca de 90% dos casos ficam por conta de micoses, seguidos pela calosidade e pela verruga plantar, mais conhecida como "olho de peixe", revela a especialista. A maioria desses transtornos é causada por falta de cuidados básicos: usar objetos (alicates, tesouras, lixas) infectados, deixar os pés úmidos, usar sapatos inadequados, andar descalço ao redor de piscinas e na areia da praia.

Já nas clínicas de podologia, os principais incômodos são os calos, segundo Carlos Roberto Basseto, coordenador do Curso Técnico de Podologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial de São Paulo (Senac-SP). "Por isso, não é recomendável passar, com freqüência, lixa na planta dos pés. Os calos nada mais são do que uma defesa do organismo, mais especificamente da pele, contra o atrito com o solo", explica.

O ortopedista Carlos Alfredo Lobo Jasmin, da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé) e da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, também aconselha sobre a escolha dos sapatos: "o pé não pode ficar espremido, mas distribuído de forma harmoniosa". A seguir, Viva Saúde levantou com os especialistas os cuidados essenciais para manter os pés saudáveis. Confira.

Os cuidados devem ser redobrados com o pé diabético

Quem tem diabetes é mais suscetível a feridas constantes e de difícil cicatrização nos membros inferiores. De acordo com o Ministério da Saúde, a doença atinge hoje cerca de 8 milhões de brasileiros ou 7,6% da população com idades entre 30 e 60 anos. Esse número deverá duplicar em 2025.

Aproximadamente, 2 milhões (25%) dessas pessoas desenvolverão o pé diabético (as úlceras/feridas). E o mais alarmante é que o problema é a principal causa de amputações no país. Em 2006, foram registradas 37 mil amputações de membros inferiores, sendo 80% delas originadas de sequelas do diabetes.

O caminho que levará você a pisar nas nuvens

1º PASSO: limpar e secar
Isso significa esfregá-los com esponja, água e sabão, com uma atenção especial à parte entre os dedos e cantos das unhas. E, para completar o ritual de limpeza, depois do banho, secar bem os pés com uma toalha. Uma boa dica para garantir a secagem e afastar os fungos causadores das frieiras é passar papel higiênico entre os dedos. Para evitar micoses e o incômodo mau cheiro, também é recomendado o uso uniforme de talco (de preferência os de polvilho). Aqueles que costumam suar muito nos pés devem dar preferência aos sprays antitranspirantes.

2º PASSO: hidratar
Após a correta higienização, o uso de cremes hidratantes (principalmente aqueles à base de uréia) deixa a pele dos pés mais macia e evita rachaduras - especialmente nas estações mais frias e secas. Entretanto, fique atento ao excesso de hidratante entre os dedos e nos cantinhos das unhas, pois isso serve de porta de entrada para os fungos.

Fonte: revistavivasaude.uol.com.br
Autora: Sucena Shkrada Resk


CUIDADOS COM A PELE

Cuidados com a pele ressecada e/ou descamativa

•Não tome banhos muito quentes, eles retiram a oleosidade natural da pele.
•Evite se ensaboar demais e não use bucha, isso retira a hidratação natural da pele.
•Prefira sabonetes suaves, "hidratantes".
•Se tomar 2 banhos por dia, ensaboe o corpo todo em apenas 1 deles.  No outro, só ensaboe as áreas de dobra de pele (axilas, regiões inguinais e nádegas).
•Logo após o banho, com a pele ainda úmida, use um hidratante nas áreas ressecadas.
•Se não gosta de passar hidratante após o banho, use hidratantes que são usados durante o banho.
•Procure um dermatologista para saber qual o hidratante mais indicado para sua pele.
•Beba bastante água (cerca de 1,5 a 2 litros por dia) e coma frutas, legumes e verduras.

Cuidados com os cabelos ressecados e com pontas duplas

•Use condicionadores após o xampu.
•Use regeneradores de pontas após o banho.
•Evite pentear frequentemente os cabelos.
•Evite fazer escova.
•Evite o calor intenso dos secadores.
•Evite as chapinhas.
•Proteja os cabelos do sol e do vento.
•Use máscaras hidratantes a cada 15 dias.

Cuidados com a pele oleosa:

•Evite usar hidratantes nas áreas de pele oleosa, onde eles raramente são necessários. Mesmo se logo após o banho, a pele parece ressecada, em pouco tempo a oleosidade natural vai retornar.
•Evite lavar a face com água quente, pois isso estimula a produção de mais oleosidade.
•Evite alimentos gordurosos.
•Beba bastante água (1,5 a 2 litros por dia) e coma frutas, legumes e verduras.
•Só use filtros solares e cosméticos com o rótulo oil free (sem óleo).
•Produtos matificantes ajudam a absorver a oleosidade da pele.
•Se, além de oleosa, a pele descama ou fica avermelhada ou com coceira, procure um dermatologista, você pode estar com dermatite seborréica.

Cuidados com os cabelos oleosos

•Evite usar condicionadores próximo à raiz dos cabelos ou xampus que contenham condicionadores na sua fórmula (2 em 1).
•Evite lavar a cabeça com água quente.
•Evite alimentos gordurosos e bebida alcoólica.
•Beba bastante água (1,5 a 2 litros por dia) e coma frutas, legumes e verduras.
•Cuidado com o estresse, ele pode aumentar a produção de oleosidade.
•Se além da oleosidade tem caspa e coceira, pode ser a dermatite seborreica. Neste caso, procure um dermatologista para o correto diagnóstico e tratamento.

Fonte: Dermatologia.net
Autor: Dr. Roberto Barbosa Lima


FILTRO SOLAR E HIDRATAÇÃO PARA MANTER UM BRONZEADO SAUDÁVEL

Como se expor adequadamente ao sol, o que usar e os cuidados com o corpo no verão?
A dermatologista Daniela Landim explica que o ideal para manter o bronze por mais tempo é usar filtro solar, básico para se proteger do sol e do envelhecimento da pele.
O mais indicado é usar filtro solar – acima do fator 30 - na praia, piscina ou até mesmo caminhar no dia a dia. Chapéu e óculos escuros complementam os cuidados.
Outra dica importante é hidratar a pele depois da exposição ao sol. “Tomar água, uma ducha rápida para tirar o sal do mar ou a química da piscina são atitudes simples para quem quer manter a pele saudável e o bronzeado por mais tempo”, diz a Dra Daniela Landim.
A dermatologista aconselha tomar o mínimo de 1litro e meio de água por dia para hidratação celular e manutenção da temperatura corporal. “Não deixe de se divertir com amigos e família, aplique todos os dias o filtro solar para prevenir câncer de pele”.

Dicas básicas para bronzeado bonito e manter a pele saudável

•            Usar filtro solar- sempre! Com reaplicação a cada 2 horas.
•            Evitar o horário das 9 às 16h
•            Usar chapéu ou boné, óculos escuros, guarda sol, roupas leves e claras
•            Tomar 1,5 litro de água por dia
•            Usar hidratante específico para rosto e corpo
•            Comer alimentos com alto teor de betacaroteno (como cenoura; mamão; damasco; abóbora; beterraba; acerola; rúcula; couve; espinafre; agrião; e brócolis) ajudam na produção de melanina
•            Banho morno com sabonete neutro
•            Quanto ao banho a temperatura é ambiente, rápido e procurar um sabonete hidratante.

Autora: Dra. Daniela Landim
Dermatologista com especialização em Medicina Estética
www.danielalandim.com.br


PELE E CABELO DOS IDOSOS: DICAS PARA MANTER A SAÚDE DERMATOLÓGICA MESMO COM O ENVELHECIMENTO

Por que a pele envelhece?

O envelhecimento da pele acontece como em todos os outros órgãos, é um processo fisiológico ao qual todas as pessoas estão sujeitas. O envelhecimento programado é o mais belo que pode acontecer na pele, aquele que é esperado, porém que foi moldado para ser saudável.

O processo de envelhecimento da pele é apenas devido à genética da pessoa? Ou fatores externos como raios solares e o uso de tabaco também influenciam no envelhecimento?

Sim, o envelhecimento cutâneo depende muito dessa associação de vários fatores, como o genético, que conta praticamente 50% desse total, e os outros fatores, que antecipam o envelhecimento, como, por exemplo, a radiação solar, que em excesso desencadeia o surgimento precoce de rugas, manchas, flacidez e redução da elasticidade da pele. Além disso, o tabagismo acarreta sinais clássicos de envelhecimento, como escurecimento da pele e piora das manchas, além de provocar a formação de vários ativos oxidantes que desencadeiam o envelhecimento precoce.

Como são formadas as rugas? Por que elas aparecem?

As rugas surgem após a fratura da pele, que acontece com o envelhecimento fisiológico natural. Existem vários fatores externos que podem facilitar o surgimento dessas rugas, como, por exemplo, a radiação solar, que precipita o surgimento dessa quebra da pele. O que diferencia uma ruga mais profunda de uma mais superficial é o nível em que essa fratura acontece. Se for no nível da epiderme, que é a camada mais superior, a ruga é mais superficial, sendo mais fácil seu tratamento e sua prevenção para não evoluir para uma ruga mais proeminente.

Como é a pele do idoso?

A pele de uma pessoa mais idosa apresenta algumas características específicas, como, por exemplo, a camada de gordura está reduzida, as fibras elásticas estão em menor número, facilitando a flacidez da pele, e ainda apresenta um aspecto mais fino, que é determinado pela diminuição de todas as camadas da pele, deixando-a mais friável.

Por que a pele do idoso é mais seca?

A pele do idoso apresenta-se com aspecto menos hidratado por essa redução que acontece em todas as camadas da pele, facilitando a perda da água da barreira de hidratação.

Como hidratar a pele do idoso? Há algum cuidado especial?

O mais importante de lembrar no cuidado da pele idosa é principalmente tomar apenas um banho ao dia, com sabonete neutro apenas nas partes íntimas e com água morna. Sempre após a higiene aplicar um bom hidratante corporal à base de ureia para evitar a evolução de uma pele ressecada, que facilita o surgimento de possíveis infecções cutâneas ou outros problemas.

Por que aparecem manchas na pele do idoso? Como cuidar delas? Há prevenção? E tratamento?

As manchas escuras que surgem nas áreas expostas são exclusivamente desencadeadas pela exposição solar repetida desde a infância. Se essa mancha não surgir na fase adulta, possivelmente ela vai aparecer na pele idosa. A prevenção seria não se expor ao sol de maneira exagerada e sempre fazer o uso de fotoprotetor solar. O tratamento para essas manchas causadas pelo sol pode ser realizado de várias maneiras, desde o uso de ácidos até procedimentos feitos a laser para ter um resultado mais satisfatório.

Por que o cabelo dos idosos é mais frágil?

Os cabelos dos idosos estão sujeitos à ação hormonal – que nessa fase está em declínio, tanto na mulher, com a menopausa, como no homem, na andropausa. Os cabelos ficam afetados, diminuindo o volume e deixando os fios com aspecto mais fino.

Por que após uma certa idade os pelos do corpo todo começam a cair?

Esse evento também é desencadeado pela redução hormonal fisiológica que acomete todos os idosos.

Por que as glândulas sudoríparas diminuem sua função na terceira idade?

As glândulas sudoríparas são anexos da pele, que, como todo anexo, como cabelos e unhas, também são alterados pelo desvio hormonal nessa fase.

Idosos precisam usar um xampu ou sabonete específico para seu tipo de pele?

Necessariamente não. O sabonete deve ser evitado no corpo todo e usado apenas nas partes íntimas, e quanto ao xampu não existe nenhuma restrição.

Que cuidados os idosos devem ter diariamente com a pele?

Os cuidados são praticamente os mesmos que na pele de uma criança ou adulto jovem: o uso diário de protetor solar, hidratante todos os dias após o banho e em especial evitar traumas na pele, que podem desencadear facilmente hematomas que demoram a cicatrizar.

Fonte: idmed.terra.com.br
Autora: Dra. Carla Bortoloto
Dermatologista clínica e cirúrgica do IPTCP (Instituto de Pesquisa e Tratamento do Cabelo e da Pele) e professora da pós-graduação do curso de Dermatologia da Fundação Pele Saudável de SP. CRM: 122883


SETE CUIDADOS COM OS CABELOS PARA MULHERES QUE JÁ PASSARAM DOS 50 ANOS

Alterações hormonais da menopausa e envelhecimento afetam o couro cabeludo e os fios

A idade traz muitas coisas boas: experiência, maturidade, conhecimento... Mas para os cabelos a mudança, infelizmente, não será das melhores. A partir dos 50 anos o fio passará por algumas transformações que o tornará mais frágil, portanto muito mais quebradiço. As alterações hormonais da menopausa vão afetar a quantidade de fios e até a hidratação natural dos cabelos. Por outro lado, a queda na produção de melanina fará os fios brancos aparecerem. Essa lista pode ser ainda maior, dependendo do tipo e características do cabelo de cada mulher. "Nessa fase da vida escolher xampu, condicionador e cremes de forma aleatória geralmente não supre todas as necessidades desses fios, são necessários produtos e cuidados específicos", explica a dermatologista Maria Fernanda Gavazzoni, professora do curso de pós-graduação do Instituto Professor Azulay da Santa Casa de Rio de Janeiro. Confira a seguir todas as dicas para garantir cabelos maduros e bem cuidados.

Cabelo mais ralo na menopausa

Alopecia androgenética feminina é o nome técnico para a diminuição da quantidade de cabelo (rarefação capilar), que ocorre principalmente no topo da cabeça, em outras palavras o cabelo fica mais ralo e podem até aparecer falhas visíveis. Como o próprio nome já diz, o problema tem causas hormonais e genéticas, ou seja, a diminuição dos hormônios que causa a alopecia é determinada por marcadores hereditários. Portanto, se a sua mãe tem, é provável que você apresente a rarefação capilar no futuro.

A dermatologista Maria Fernanda Gavazzoni explica que, normalmente, de cada folículo piloso - o orifício por onde o cabelo sai - saem de dois a três fios de cabelo. "Um pouco antes e durante a menopausa, a queda dos hormônios causará a diminuição para um fio em cada poro", explica.

Maria Fernanda explica que os resultados da reposição hormonal sobre a alopecia serão muito discretos. O tratamento clínico mais usado é feito com medicação tópica, ou seja, aplicável no couro cabeludo, que estimula o crescimento dos fios. O tratamento é feito com o minoxidil, um medicamento que inicialmente era usado para tratar casos de hipertensão, mas que se mostrou eficaz para lidar com a queda de cabelo. O uso em concentrações de 2% é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). "A maioria das mulheres não gosta dessa medicação, pois ela deixa os fios oleosos e pesados" explica. "Costumamos recomendar a aplicação à noite, antes de dormir, é necessário que o cabelo seja lavado ao acordar".

Fio de cabelo mais fino

Com o passar dos anos, há uma perda da massa capilar dos fios, daí a sensação de que o cabelo afina. O que, além de contribuir para a perda de volume, deixa o fio muito mais fácil e suscetível à quebra. "Existem fórmulas que aumentam o diâmetro dos fios", explica a dermatologista Maria Fernanda. "Esses produtos são compostos por polímeros de acrilato e devem ser passados no cabelo após o xampu e o condicionador". Essa substância encorpa o fio, cria volume e dá resistência sem deixar o fio pesado. No entanto, seu efeito é temporário.

Os polímeros estão disponíveis em diversos produtos de beleza e dificilmente resultam em irritação ou reação alérgica. Os cosméticos em forma de spray com polímeros de acrilato são os mais fáceis de encontrar, estão disponíveis em farmácias, lojas de cosméticos e em sites de compra na internet. Mas também existem géis e cremes para pentear com essa finalidade.

Cabelo ressecado

A lubrificação natural do couro cabeludo e dos fios também se torna menor com a idade, faz parte do processo de envelhecimento. Para contornar o problema uma solução é investir nos produtos certos e na hidratação. "A maioria dos produtos disponíveis nas prateleiras não atende as necessidades das mulheres na faixa etária dos 50 anos", explica a dermatologista Maria Fernanda. "As mulheres dessa idade precisam de produtos que aumentem o volume e com hidratantes que não pesem", conta. A recomendação da dermatologista é a escolha por produtos que tenham as indicações que você busca como, por exemplo, mais volume. Existem ainda linhas de cuidado capilar destinadas ao cuidado antienvelhecimento que podem ser usadas. Quanto à hidratação, a especialista recomenda procurar por produtos feitos à base de silicone, sempre de boa qualidade, que hidratam sem pesar nas mechas e deixar a perda de volume e rareamento dos fios mais evidente.

Menos brilho

Com a diminuição da hidratação, o brilho, produto direto do primeiro, também diminuirá. Para reconquistar o brilho, além de seguir as orientações para uma boa hidratação a cada quinze dias, uma boa opção é investir em finalizadores à base de silicone, sprays de brilho e óleos vegetais com silicone na composição (uma vez que é o silicone que garante a aderência do produto ao fio). Use depois do banho, com os cabelos úmidos. A cabeleireira Marília Kikuchi, consultora da Condor, recomenda principalmente os óleos vegetais de coco e abacate.

Cabelos brancos

"Com 50 anos, 50% das pessoas terão 50% dos cabelos brancos", conta a dermatologista Maria Fernanda. "Inicialmente, os fios brancos são mais fortes que os cabelos de cor natural, mas depois eles também se afinam, tornando-se mais frágeis", explica. Se a ideia é a adotar os fios grisalhos ou totalmente brancos, além de ser necessário manter todos os cuidados - que você já viu acima - com os cabelos maduros, serão necessários alguns truques para manter a cor bonita, livre do amarelamento.

Para cuidar, os xampus específicos para cabelos grisalhos não podem ser deixados de lado. Mas você não deve aplicá-lo em todas as lavagens, o ideal é usá-lo a cada semana ou 15 dias. "Este tipo de xampu é feito à base de pigmentos violetas, que vão produzir um reflexo prateado, fazendo com que o branco amarelado ganhe um tom acinzentado, brilhante e saudável", explica a cabeleireira Marília Kikuchi.

Antes de tingir

Quem tem muitos cabelos brancos e opta por tingir o cabelo pode deixar as madeixas ainda mais expostas a danos. "Assim como o envelhecimento, a química causa o afinamento dos fios, responsável pela fragilidade do cabelo", explica a dermatologista Maria Fernanda. Por isso, o ideal é que o cabelo esteja muito bem cuidado antes de aplicar a coloração.

"Para aplicar qualquer química nos cabelos, o ideal é que eles estejam hidratados", explica o dermatologista Adriano Almeida, membro da Sociedade Brasileira para Estudos do Cabelo. "Um cabelo saudável responde melhor às agressões químicas, evitando o ressecamento extremo dos fios".

O tonalizante será uma boa opção para quem tem apenas alguns fios de cabelo branco, pois ele tinge de maneira menos agressiva, mas eficaz nesses casos. Para quem tem o cabelo todo branco, o melhor é optar por uma tonalidade mais clara, que deixará o crescimento da raiz em cor diferente mais discreto e espaçará a necessidade de retoques. Além disso, vale investir em tinturas que contenham polímeros de acrilato na composição, que ajudam a devolver volume aos fios.

Depois de tingir

Para contornar o problema da fragilidade dos fios - que agora será mais intenso - é essencial tratar as alterações que podem aparecer. Por exemplo, caso haja uma acentuação da diminuição dos cabelos, procure o médico para o melhor tratamento para estimular o crescimento dos fios. E não se esqueça de colocar em prática todos os truques para cabelos maduros citados anteriormente para estimular o engrossamento do fio e manter a hidratação.

Não é indicado tingir os fios da raiz às pontas toda vez que o retoque for necessário, o que acontece a cada 15 ou 30 dias, em média."A raiz sofrerá a primeira agressão, mas a ponta de um cabelo de 60 centímetros, por exemplo, tem, em média, cinco anos", alerta Adriano. "Isso causará um dano muito maior ao comprimento do fio".

Optar por cortes mais curtos ou mesmo aparar as pontas com uma frequência maior - por exemplo, uma vez ao mês - ajuda a evitar o dano ao fio. Além disso, a frequência das hidratações deve ser ao menos semanal e específica para cabelos tingidos, o que além de cuidar, ajuda na fixação da cor e diminui a necessidade de uma nova pintura do cabelo em um curto espaço de tempo. O xampu e condicionador para cabelos tingidos também atuam com essa finalidade e também devem ser usados.

Fonte: Site Minha Vida
Autora: Manuela Pagan

Enviado por: Laura Lellis


NEM LOIRA, NEM MORENA: DESCUBRA OS TONS INTERMEDIÁRIOS QUE SÃO A CARA DO VERÃO

Os coloristas apostam nos tons intermediários para o verão 2014. Segundo os profissionais da cor, as nuances medianas vão destacar a beleza, iluminar o rosto e ainda deixar os fios mais saudáveis até o fim da estação

Nem escuro, nem claro. As cores intermediárias estão em alta segundo os coloristas. Se os tons de loiro continuam reinando na preferência de muitas mulheres, os profissionais da cor afirmam que nuances medianas vão fazer a cabeça de muitas brasileiras e ajudar a manter os fios mais saudáveis até o fim da estação mais quente do ano. "Esse verão será diferente do último. Antes, os cabelos estavam marcados, mais loiros. Agora, a tendência é apostar em tons mais escuros, que serão destacados e abertos pela luz do sol. O motivo é a duração da estação, que será maior e mais quente", contou o colorista Carlos Godoy.

Tons de cobre, mel, conhaque, cacau e dourado deixam fios escuros com a cara do verão
A consultora de estilo Mirela Lacerda aponta os tons que são a cara do verão. Para a profissional de moda, tons de mel, conhaque, cacau e dourado são uma boa pedida na temporada para quem tem madeixas mais escuras e desejam iluminar o visual. Para Mirela, o importante no verão é não deixar os cabelos com apenas uma cor. "O look monocromático dá mais trabalho de manter, por isso acho que as luzes são ideais no verão, principalmente porque sol,praia e piscina acabam desbotando a cor mais rápido. As luzes ajudam a ter um visual mais natural", explicou a consultora.

Luzes transformam o visual das madeixas com nuances nem muito loiras nem muito castanhas
Fios com luzes também são tendência para o verão desse ano. De acordo com Carlos Godoy, o visual da temporada é mais suave: "as luzes mudam nesse ano. Sai de cena o visual marcado do ombré e mechas destacadas para dar lugar às mais finas e aos pontos de luz, que quando expostos ao sol, iluminam o rosto, mas mantém o estilo saudável porque não estragam tanto os fios e conseguem chegar com o mesmo estilo no final da estação", explicou o profissional.

A colorista Martha Leão também acredita que esse é o verão das luzes suaves e aponta o blending como o visual "must have" da temporada: "minha aposta para cabelos escuros é o blend. Com a base escura, o efeito ilumina e deixa a pele mais bronzeada. É um processo em que se clareia algumas mechas, umas desde a raiz, outras a partir do comprimento e algumas nas pontas. Isso cria um efeito suave e com aspecto de clareado de sol. É o visual perfeito porque o objetivo é não clarear muito, principalmente quem é morena. Tons muito claros descaracterizam os castanhos, deixando-os indefinidos", contou a profissional.

Adaptando a cor de inverno para o verão
Apesar do sucesso dos castanhos nas temporadas mais frias, Carlos ensina que no verão é preciso apostar em nuances naturais pela exposição solar mais forte. "No verão a mulher prefere passar algumas horas na praia do que no salão. É por isso que as apostas são tons discretos, que iluminam, como o caramelo ou o mel com nuances levemente clareadas, que não precisam de tanta manutenção como o loiro", explicou.

Como é comum muitas mulheres apostarem em tons outonais durante os dias mais frios do ano, Mirela Lacerda explica que é possível transformar o look e adaptar o visual à nova estação, mas é preciso preparação para que a cor dure o ano todo. "O melhor truque pra passar do inverno para o verão é investir em cores que iluminem e 'esquentem'. Por isso, evite colorações com fundo cinza e procure conversar com o cabeleireiro sobre as opções de tons quentes que mais têm a ver com seu tom de pele e a cor original dos seus cabelos", ensinou.

Fonte: www.belezaextraordinaria.com.br


EMBORA EFICAZ, DEPILAÇÃO A LASER TEM PRÓS E CONTRAS; CONHEÇA MAIS SOBRE O MÉTODO

Sempre que se fala em depilação a laser, a primeira coisa que vem à cabeça é que se trata de um método definitivo. Puro engano. Ao contrário do que parece e do que se acredita essa não é uma técnica que extermina os pelos para sempre. “Esse procedimento elimina cerca de 30% dos pelos a cada sessão e é capaz de bloquear o crescimento de até 80% deles até o final do tratamento”, esclarece o dermatologista Agnaldo Mirandez, diretor da Clínica de Estética Perfetta, de São Paulo. “E os 20% de pelos restantes nascem mais finos e espaçados”, complementa a médica Juliana Castro Moraes, da Clínica Vitalle, do Rio de Janeiro, especialista em medicina estética. O tempo que dura esse resultado é relativo e varia de uma pessoa para outra. “A durabilidade desse bloqueio no crescimento dos pelos é muito individual, mas os resultados podem permanecer de dois a cinco anos”, explica a dermatologista Sara Bragança, do Rio de Janeiro.

As aplicações de laser durante um tratamento geralmente são feitas a cada 30 ou 40 dias, em média. Porém o tempo que vai demorar para os pelos sumirem também é relativo, pois depende da região do corpo a ser depilada, do tipo de laser empregado, da produção de hormônios, da cor da pele e da cor dos pelos. Pode variar de 5 a 8 sessões, em média, para os pelos sumirem, mas pode ser necessário até 12 sessões. “Áreas como virilha e axila, que têm pelos mais grossos e escuros, respondem melhor ao método, o que pode abreviar o tempo de duração do tratamento para três sessões. Já pernas e face, regiões onde os pelos são mais claros, a previsão é de cinco sessões. Mas vale ressaltar que essa é uma estimativa, os resultados são individuais e em algumas pessoas esse número de sessões estimado pode ser menor e em outras, maior”, destaca Sara Bragança. “Uma vez concluído o tratamento, a manutenção pode ocorrer a cada quatro ou seis meses”, complementa Juliana Castro.

Como age e quais são os riscos

O mecanismo de ação da depilação a laser é simples, porém delicado, e pode ter consequências como manchas e queimaduras. “Quando a luz do laser atinge o pelo, ela gera uma energia aquecida que o destrói, quando esse aquecimento atinge as células da raiz, o pelo não volta a crescer”, esclarece Agnaldo Mirandez. “Essa energia é atraída pela melanina do pelo. Na prática isso significa que os pelos mais claros têm menos melanina e respondem menos ao método, já os mais escuros absorvem mais a luz do laser. Portanto nos fios grossos e escuros o tratamento é mais eficaz”, justifica o dermatologista.

Por outro lado, justamente por conta dessa questão de que o laser é atraído pela melanina, peles bronzeadas, morenas e negras devem ser tratadas com muito critério porque a chance de ter queimaduras e manchas é maior. “Nesses casos, a melanina da pele se confunde com a do pelo e isso pode provocar manchas escurecidas. Mas isso é facilmente controlado com a potência da emissão de luz, que deve ser mais baixa, o que pode aumentar o número de sessões durante um tratamento”, ressalta a especialista em medicina estética Juliana Castro Moraes. “Os aparelhos mais modernos podem ser utilizados em peles negras, com uma margem de segurança grande para o paciente”, lembra a dermatologista Sara Bragança, do Rio de Janeiro. “Há ainda algumas técnicas para diminuir o risco de queimaduras nas peles morenas, como o tempo que a energia é administrada e o tipo de pulso que é feito”, complementa Agnaldo Mirandez, da Clínica Perfetta. “Essa queimadura pode resultar em bolhas, manchas, vermelhidão, cascas, mancha escura ou mancha clara. Mas um bom profissional consegue reduzir bastante a chance disso acontecer”, destaca o médico. Inclusive, o primeiro passo para um tratamento seguro é fazer o procedimento com um dermatologista ou especialista em medicina estética, de preferência com especialização em laser. Caso contrário, o risco de complicações é grande.

Sensação física

Na hora do contato do laser com a pele o que se sente é uma leve queimação. “À medida que se aumenta a potência do laser fica mais dolorido. Não chega a ser insuportável, é um desconforto, como acontece com as depilações com cera quente e fria”, relata o dermatologista Agnaldo Mirandez. “Os melhores equipamentos para depilação são os mais dolorosos. Para se obter uma depilação eficaz a raiz do pelo precisa ser aquecida a uma temperatura mínima de 60ºC e isso causa dor. Para minimizar esse desconforto alguns fabricantes desenvolveram soluções anestésicas como anestésicos tópicos, gelo em forma de rolos, criogênio em spray e equipamentos de crioterapia”, justifica a especialista em medicina estética, Juliana Castro Moraes, da Clínica Vitalle. “O mais usado é o anestésico tópico, que deve ser aplicado 30 minutos antes da sessão”, lembra a dermatologista Sara Bragança.

No período pós-procedimento normalmente não há dor, mas é comum a pele ficar vermelha e em alguns casos, irritada, principalmente nas pessoas mais sensíveis. Mas essa sensação desaparece depois de algumas horas e pode ser amenizada com a aplicação de água termal e cremes à base de corticoides ou calamina na região tratada, para acalmar. 

Longe do sol

São muitos os motivos que fazem do sol um vilão, quando o assunto é depilação a laser. O mais clássico é a questão da pigmentação – a melanina das peles bronzeadas atrai a luz do laser e isso pode prejudicar o processo natural, em que a energia atinge pontualmente a raiz do pelo, comprometendo o sucesso do tratamento e provocando manchas. “O ideal é não se expor ao sol duas semanas antes da sessão e até três semanas depois, pois o sol é extremamente prejudicial para a cicatrização da pele”, explica Sara Bragança. “Peço aos meus pacientes que não tomem sol durante todo o tratamento, já que a pele submetida a uma agressão se torna mais vulnerável a queimaduras solares e ao aparecimento de manchas. Usar bloqueador solar nesse período é fundamental”, lembra Juliana Castro Moraes, da Clínica Vitalle.

Em tempo: os métodos mais utilizados são luz intensa pulsada, laser de diodo, Alexandrita e Nd Yag. Cada tecnologia tem características particulares que os diferenciam. Em comum, todos os sistemas usam a luz de alta energia que age atraído pela melanina. “Todos são eficazes, desde que utilizados por profissionais habilitados. O que define um bom profissional é o domínio que ele tem sobre o aparelho utilizado”, alerta o dermatologista Agnaldo Mirandez, da Clínica Perfetta, de São Paulo.

Autor: Isabela Leal
Fonte: mulher.uol.com.br/beleza


OITO CUIDADOS PARA PROTEGER A PELE SENSÍVEL

Troque os cosméticos e escolha bem os tecidos para evitar coceira e irritação

Quando a pele é sensível, até mesmo um ventinho gelado ou um creme diferente bastam para causar vermelhidão e coceira. O problema é mais comum do que se imagina e pode atrapalhar bastante a rotina se alguns cuidados básicos passarem despercebidos - um estudo do Journal of Cosmetic Dermatology, feito com mulheres e homens, mostrou que 62% delas e 52% deles tinham irritação na pele por causa de cosméticos (foram analisadas 3.800 pessoas, 3300 mulheres e 500 homens).

Para evitar desconfortos como esse, a primeira medida é simples: jamais usar os produtos causadores de alergia. Mas existem outros cuidados capazes de proteger a pele e diminuir a sensibilidade, veja as dicas dos especialistas.
 
Vista algodão
Quanto mais natural for o tecido, melhor. A dermatologista Carolina Marçon, da Sociedade Brasileira de Dermatologia, conta que os fios sintéticos desencadeiam mais alergias. "O organismo reage com mais vigor a substâncias sintéticas, o que pode desencadear um quadro de alergia ou até uma inflamação se a pele for muito sensível", afirma. O algodão só não é indicado quando você for praticar atividade física. "Esse tipo de tecido é muito pesado, prende o suor e fica encharcado facilmente", afirma o personal trainer Carlos Klein, da equipe Movimente-se. Nesse caso, tecidos próprios para esporte são melhores porque ajudam o corpo a trocar calor com o ambiente. 

Use cosméticos infantis
As linhas de produtos de higiene para bebês concentram menos componentes capazes de causar alergias. Se você costuma apresentar irritação na região ao redor dos olhos, por causa de maquiagem, poluição e outros fatores, experimente lavar a área com xampu neutro de criança. "Muitos oftalmologistas recomendam essa prática para pessoas que têm blefarite, que é uma inflamação das pálpebras causada pela produção exagerada de óleo", afirma a dermatologista Carolina.

Pesquisadores americanos do Brooklyn's Long Island Hospital afirmam que, se você usar xampu infantil como sabonete para o rosto duas vezes ao dia, tende a diminuir 90% de coceira, vermelhidão e inchaço na região dos olhos. Eles explicam que o produto remove impurezas que se acumulam nas pálpebras e que podem causar irritação.

Passe sabonete neutro
Sabonete neutro, de glicerina ou mesmo infantil são os melhores para limpar a pele sensível sem remover a camada natural de proteção que ela tem ou provocar reações inflamatórias. "Costumo indicar o sabonete líquido infantil para lavar tanto o rosto quanto o corpo, pois tem ação desengordurante melhor do que o de barra e é menos irritante", recomenda Carolina Marçon. Para o rosto, você pode usar o produto duas vezes por dia, priorizando o momento antes de dormir para garantir que a pele não passe a madrugada toda cheia de impurezas.

Não esfregue demais a pele
Esse cuidado vale, principalmente, ao lavar o rosto. "Dependendo da intensidade da força, você pode até causar lesões e romper fibras de colágeno e elastina, que dão firmeza e sustentação à pele", conta a dermatologista Cristina Graneiro, da clínica La Liq, no Leblon, Rio de Janeiro. Em vez disso, faça uma massagem suave para estimular a circulação local, aumentando a chegada de nutrientes por meio do sangue para as células da pele.

Evite roupas justas
Calça jeans e outras roupas muito justas ficam em atrito constante com a pele, o que aumenta as chances de irritação. "Além disso, a roupa apertada pode prejudicar o crescimento do pelo e deixá-lo encravado, causando inflamação", lembra Carolina Marçon. Passar um creme hidratante e logo em seguida já vestir uma calça apertada também não é uma boa ideia, pois isso concentra ainda mais o produto na pele que, sem respirar direito, tende a ficar irritada.

Tire a roupa após voltar da academia
O contato constante com uma roupa suada e molhada pode facilitar a proliferação de fungos na pele. Você não vai enxergá-los, mas sente a presença deles com a coceira e vermelhidão que podem surgir. "Se você já estiver com a pele irritada, o suor pode agravar ainda mais por ser ácido", diz a dermatologista Carolina.

Creme hidratante adequado
Cremes com perfumes fortes e cores diferentes devem ficar longe da sua prateleira. Se for usá-los, faça isso após passar um hidratante que não cause irritações. "O ideal é pedir ao dermatologista a indicação de um produto com baixa concentração de componentes irritantes e alto poder de hidratação, respeitando o seu tipo de pele", afirma Carolina Marçon. A hidratação da pele ajuda a manter a camada de proteção natural e evitar o ressecamento e, por isso, não deve ser descartada. A solução é se empenhar na busca de uma fórmula compatível com sua pele.

Cuidado com o inverno
O clima seco da estação mais fria do ano pede hidratação redobrada para a pele não ficar ressecada demais e propensa a irritações. Já os banhos muito quentes e demorados precisam ser evitados. "A água quente elimina a camada que mantém a pele hidratada, chamada manto lipídico", afirma a dermatologista Carolina. "Isso faz com que a pele perca água e fique vulnerável a diversas substâncias externas." Nesses casos, um simples vento, carregando pó, partículas de poluição e outros componentes, é suficiente para causar coceira.

Fonte: http://www.minhavida.com.br
Autora: Letícia Gonçalves
Enviado por: Laura Lelis


MAQUIAGEM PARA AS MADURAS

Make para terceira idade: Aprenda como fazer maquiagem discreta, que valorize o rosto maduro com as dicas dadas pela beauty artist Fê Guedes.

Durante a terceira idade, a maquiagem merece atenção redobrada. Atenuar rugas e valorizar os traços faciais pode ajudar bastante a melhorar a expressão, mas para isso é preciso tomar cuidado para não exagerar, o que pode transformar essa aliada em grande inimiga.

Para que o resultado saia do jeito como você deseja, o truque é apostar em um make leve, sem nada de excessos.

Siga as dicas e aprenda a valorizar o rosto maduro.

Preparação da pele

O primeiro passo antes de começar qualquer maquiagem é a limpeza da pele. Isso porque a pele limpa permite que os produtos se espalhem de maneira uniforme. Além disso, aplicar o tônico facial deixa o rosto com aparência de descansado.

Feito isso, é hora de hidratar a pele, o que a deixará protegida contra as agressões externas e ressecamento.

Seguido do hidratante, aplica-se o primer, que ajuda a suavizar as linhas de expressão e faz com que a maquiagem fixe melhor na pele.

Cobertura

De acordo com a beauty artist, depois de aplicar o primer, o primeiro produto que deve ser usado para fazer a cobertura da pele é a base, elemento chave na camuflagem das linhas de expressão. Prefira as versões líquidas, que se espalham melhor.

A maneira correta de aplicá-la é de dentro para fora do rosto, com um pincel de cerdas artificiais ou com o auxílio de uma esponja. Se achar que ainda é necessário disfarçar algumas imperfeições, aposte no corretivo líquido.

O pó deve ser usado com cuidado e somente em peles muito oleosas, mas fique longe dos olhos e da boca (lugares em que costuma ter mais linhas de expressão). Aplique-o na "zona T" (testa, nariz e queixo).

Olhos

Aposte em tons de sombras neutros, como pêssego, marrom claro e escuro e cobre. Tome cuidado com cores escuras como o preto e com cores muito claras como pérola. Além disso, é importante lembrar que sombras cintilantes e produtos que iluminam, dão destaque a área aplicada, ainda mais se o produto for em pó. Portanto, deixe as ruguinhas longe desses produtos.

Lábios

Aposte nos tons mais claros ou bem escuros, como por exemplo, vinho e evite batons cremosos, molhados, gloss e cores muito vivas.

Passo a passo da maquiagem ideal para fazer em casa

1- Depois de limpar e tonificar hidrate muito bem a sua pele e use diariamente os produtos específicos para as suas necessidades. Além disso, não se esqueça do protetor solar.

2- Aplique o primer.

3- Uniformize a pele com uma base, de preferência líquida.

4- Se achar necessário, aplique corretivo nas olheiras e manchas.

5- Caso a pele esteja com muito brilho ou for oleosa, aplique o pó compacto do mesmo tom dela na "zona T" (testa, nariz e queixo).

6- Depois aplique uma sombra viva, como salmão, rosinha ou pêssego em toda a pálpebra móvel até o côncavo.

7- Esfume levemente uma sombra ou lápis marrom bem rente aos cílios (o traço deve ser bem fino e delicado).

8- Abuse da máscara de cílios também na cor marrom. Ela fica linda e ajuda a levantar o olhar.

9- Aplique blush sem brilho, bem rosinha, nas maçãs do rosto.

10- Por fim, contorne os lábios com um lápis cor de boca e depois os preencha com ele.

11- Agora, por cima do lápis aplique batom da mesma cor, de preferência com o auxílio de um pincel, pois o acabamento é melhor.

Pronto! Está aí uma maquiagem incrível para a terceira idade.

Dicas de: Fê Guedes
Fonte: http://www.portaldamaquiagem.com.br



DICAS PARA PREPARAR A PELE ANTES DE CADA ATIVIDADE FÍSICA

Barriga lisinha, bumbum durinho e pernas torneadas não são os únicos benefícios da atividade física. A sua prática constante age diretamente no aspecto da pele. Ao se exercitar, o fluxo de sangue é estimulado, o que ajuda a remover com eficácia as toxinas do corpo e manter a pele saudável. Além disso, praticar atividades físicas ajuda a combater o estresse, flacidez e o envelhecimento precoce da pele.

Segundo a dermatologista Miriam Sabino (CRM-SP-107351), são vários os efeitos positivos da atividade física sobre a pele. “Toda atividade física ativa a circulação sanguínea e isso faz com que os nutrientes cheguem até a pele. A pele recebe os efeitos dos exercícios em primeiro lugar pelo aumento de endorfinas, que dão bom humor, aumento de autoestima e relaxamento”, ressalta a dermatologista Miriam Sabino.

Cuidados diários com a pele

Cada atividade física exige de uma preparação da pele. Por isso, preste atenção nas dicas da dermatologista Miriam Sabino e saiba como cuidar da sua pele antes e depois de fazer natação, caminhada ou corrida:

Natação e hidroginástica - A natação é um exercício aeróbico que ajuda o corpo a relaxar, além de favorecer o funcionamento de todas as funções orgânicas. Apesar de o seus inúmeros benefícios, os praticantes dessa modalidade devem manter alguns cuidados extras com a pele por causa do cloro usado na água. “O ideal é usar produtos à base de lipossomos e ceramidas. O lipossomo impede o contato das células com o cloro. Já as ceramidas detêm a água do corpo, o que também funciona como uma película de proteção”, recomenda a médica Dra. Miriam Sabino.

Antes - Não esfolie a pele ou use sabonetes abrasivos antes de ir à piscina. Sua pele perderá a proteção natural e ficará mais sensível aos danos produzidos pelo contato com o cloro.

Depois - Tome uma ducha após a piscina para retirar o cloro em excesso. Logo após o banho, hidrate a pele após a atividade aquática. Seja com óleos corporais, ou depois com cremes hidratantes, isso evita o ressecamento.

Corrida - Perder peso e ganhar massa muscular, melhorar o condicionamento físico, diminuir o estresse do dia a dia, controlar a pressão arterial e diabetes. Esses são um dos benefícios para quem pratica corrida. A prática da corrida também exige alguns cuidados para a pele, principalmente se você corre em dias frios, quentes e ao ar livre. “Lavar, hidratar e proteger. É importante manter esses cuidados para proteger a pele dos agressores naturais. A hidratação deve ser feita em todas as situações, mesmo que a pessoa pratique a corrida como hobby ou esporte”, destaca a médica.

Antes - É importante lavar o rosto com sabonete neutro, ou algum outro que seja específico para a sua pele. Depois é recomendado aplicar o hidratante e logo em seguida, o protetor solar com alto FPS no mínimo 30 e proteção UVA. Opte pelo filtro solar resistente a água e também ao suor.

Depois - Após o exercício lave a pele novamente, utilize um hidratante e o fotoprotetor. Para quem tem uma pele mais oleosa, utilize sabonetes com ácido salicílico. Caso, a sua pele seja ressecada, opte por um sabonete neutro.

Ciclismo - Andar de bicicleta alivia o estresse e as tensões do cotidiano, aumenta a capacidade aeróbica, com apenas 30 minutos de pedalada por dia. Auxilia na eliminação de gorduras localizadas, melhora o condicionamento físico e ainda age nos sistemas respiratório, cardíaco e vascular. O ciclista costuma pedalar por horas e acompanhado de uma garrafa de água ou isotônicos que auxiliam na reposição dos sais perdidos no corpo. Mas, muitos deles se esquecem da importância em proteger a pele contra os raios de sol durante os treinamentos e competições. “O uso de o filtro solar para o ciclista irá fazer efeito nas primeiras horas, evitando que os raios afetem a pele. Porém, com a transpiração permanente, o protetor acaba perdendo eficiência. É nesse momento que os cuidados com a pele aumentam, o ciclista deve optar pelo protetor solar com maior duração e resistência”, aconselha a dermatologista Miriam Sabino.

Antes - Antes de iniciar qualquer treinamento, o ciclista deve tomar alguns cuidados em relação ao excesso de exposição. O uso de óculos escuros, filtro solar e uma roupa adequada para praticar o esporte, ajudam a proteger a pele dos raios solares.

Depois - Após o banho, hidrate a pele com cremes hidratantes para proporcionar uma sensação de frescor à pele.

Caminhada - Caminhar é uma atividade física muito saudável, porém, são necessários alguns cuidados na hora de caminhar de baixo de sol.

Antes - O ideal é aplicar o protetor solar de no mínimo FPS 30, no rosto e no resto do corpo. Ambos estão sempre expostos aos raios ultravioletas, o filtro solar pode ser aplicado cerca de meia hora antes da atividade física.

Depois - Após o exercício, tome uma ducha com água morna para relaxar o corpo e logo em seguida, passe um hidratante na pele.

Quer mais dicas? Conheça algumas estratégias para praticar esportes de uma maneira saudável sem agredir a pele:

- Treine nas primeiras ou últimas horas do dia, mesmo que isso signifique fazer os treinos em duas sessões. -Permaneça fora do sol das 10 às 16 horas.

- Durante os exercícios, cobrir a pele tanto quanto possível com bermudas longas e camisas de mangas compridas.

- Proteja os olhos com óculos de sol com proteção Anti-UV.

-Opte pelos protetores em bastão para os lábios e também ao redor dos olhos, porque são mais resistentes ao suor.

- Os triatletas podem deixar um frasco de filtro solar fixado nas bicicletas com fita adesiva.

Fonte: Dermatologista Miriam Sabino
Enviado por: Sacha Oliveira Assessoria de Comunicação

Webdesigner: Lika Dutra
Revisão: Anna Eliza Fürich
[email protected]

Para acessar matérias anteriores,
clique na caixa abaixo.

Qual a sua opinião sobre esta matéria?
Envie suas críticas e sugestões

Clique aqui

Deseja enviar esta página para um
"Velho Amigo"?

Clique Aqui

INFORMO
Sou jornalista e não estou capacitada a responder sobre assuntos relacionados nesta seção. Sugiro ainda que não aceitem consultas virtuais.